6 Dicas sobre finanças pessoais

6 Dicas sobre finanças pessoais

Como você cuida hoje das suas finanças pessoais? Seja qual for a resposta, terminando o mês no vermelho ou no azul, sempre dá para melhorar a sua relação com o dinheiro.

Finanças pessoais é o nome que se dá a tudo o que se relaciona ao âmbito financeiro de uma pessoa física, aplicando os mesmos conceitos financeiros usados em uma empresa.

Isso quer dizer que, em suas finanças pessoais, você vai ouvir falar de orçamento, planejamento e fluxo de caixa, entre outras tarefas que fazem parte desse importante aspecto da sua vida.

Que tal saber 6 dicas sobre finanças pessoais?

Acompanhe abaixo:

1. Transforme Sua Vida Financeira Com a Regra Dos 50-15-35

Você já ouviu falar desta regra? Bem, ela é bastante simples. Consiste em aplicar uma métrica na ideia que repetimos sempre: objetivos e metas.

O conceito é simples: dividir seu orçamento em três percentuais para onde sua renda deverá ser direcionada (ou 3 limites para seus gastos):

  • 50% para gastos essenciais
  • 15% para prioridades financeiras
  • 35% para estilo de vida.

Isso significa dizer que, tudo o que é básico e fundamental, não deverá superar 50% do seu orçamento: moradia, contas de consumo, educação e assim por diante.

Em seguida, as prioridades financeiras devem se limitar a 15% do seu orçamento.

Se você está endividado, essa é a parcela que deverá ser canalizada para o pagamento desses compromissos.

Do contrário, esse percentual deve ser destinado à poupança e construção de patrimônio.

Seguindo os dois parâmetros anteriores, você conseguirá 35% do seu orçamento para gastar com coisas que gosta e trazem sentido para sua vida: passeios, hobbies, restaurantes e tudo mais que te define e te motiva.

Sem essas coisas, as finanças pessoais ficam comprometidas, pois a vida perde, literalmente, a graça.

Cuidado, portanto, em rotular como “supérfluo” as coisas que lhe trazem alegria.

2. Renegocie suas dívidas

Quem quer organizar suas finanças pessoais para sair das dívidas precisa começar renegociando os valores devidos.

Esse momento é essencial para você compreender o montante que precisa pagar – informação que deve guiar o restante do seu planejamento financeiro.

Além disso, ao renegociar, você muitas vezes consegue frear a incidência dos juros que aumentam a sua dívida.

3. Faça um planejamento financeiro pessoal

Muita gente pensa que o planejamento financeiro pessoal é um bicho de sete cabeças. Mas não é.

Aliás, o grande segredo é ser simples e funcional.

A base de qualquer planejamento é simplesmente definir prazos e metas.

Em resumo: é saber o que se quer, quando se quer, para poder planejar como vai chegar lá.

4. Monte uma planilha de gastos mensais

Finanças pessoais não são nada sem controle.

Então, que tal começar a fazer sua planilha de gastos mensais?

Melhor ainda: existem muitas planilhas prontas para você começar agora mesmo.

5. Junte uma reserva de emergência

Outro ponto importante para sair das dívidas é montar a sua reserva de emergência.

Estipule um valor e vá guardando aos poucos até atingir um valor substancial.

Ao poupar uma boa quantia, você garante que não precisará recorrer ao crédito caro em momentos de crise.

E claro, o dinheiro economizado não deve ficar parado em uma gaveta ou aplicado na caderneta de poupança.

Para proteger a sua reserva de emergência da desvalorização, é importante procurar alternativas de investimento que apresentem uma rentabilidade acima da inflação.

Assim, você protege seu patrimônio e garante que terá um capital guardado para te auxiliar em momentos de crise.

6. Aprenda contabilidade com os ricos

Ricos não são ricos à toa.

Uma das principais coisas que os diferencia das demais pessoas do mundo é a atenção incrível que dão às suas finanças pessoais.

E como conhecimento significa poder, sabem o suficiente de cada aspecto que envolve seu dinheiro.

E um dos aspectos mais importantes, ignorado pela maioria das pessoas que não conseguem enriquecer, é a “contabilidade”.

É preciso entender os fundamentos contábeis para poder contratar um bom contador e evitar, assim, perder dinheiro.

Não estamos falando de nada ilegal, muito pelo contrário.

As pessoas ricas conhecem a contabilidade de forma a evitar tributos e impostos desnecessários, dinheiro esse que em suas mãos, só faz crescer seu patrimônio.

Note que, toda vez que ler uma biografia de um milionário, parte de seus segredos sempre passará por uma contabilidade impecável e conhecimento tributário.

O segredo de quem tem: jamais perder dinheiro quando isso puder ser evitado.